Browse By

Como trilhar a jornada do empreendedor de startup | Parte 2: Pré-operação

Fala galera, aqui é o PH novamente!

Como você deve ter percebido, o nome do nosso blog é justamente “jornada do empreendedor”. Colocamos esse nome justamente porque vamos te ajudar com um passo a passo de como trilhar essa jornada para criar seu negócio. Nesse post, falar sobre a segunda fase, que é a de pré-operação. 

Se você perdeu o primeiro post, sobre a fase de ideação, corre lá para ler e depois me encontra aqui novamente!

Como trilhar a Jornada do Empreendedor de Startup | Parte 1: Ideação

Agora vamos ao que interessa.

Fase de PRÉ-OPERAÇÃO

Foco: Estratégia

Nessa fase, é essencial que a startup crie e mantenha uma estratégia forte e coerente para conseguir avançar durante essa fase.

Não vou me aprofundar no conceito de estratégia neste momento, mas entendam que estratégia é o caminho que eu escolho para atingir meus objetivos. Quanto melhor o caminho escolhido, mais possibilidades eu tenho de atingi-lo e gastando menos recursos no processo.

Este é um momento na jornada em que diversos caminhos e possibilidades se abrem diante da startup.

Geralmente os empreendedores não estão conseguindo resultados muito expressivos e não sabem bem onde focar, logo qualquer um desses caminhos pode ser uma “grande oportunidade”, e consequentemente o caminho que geralmente o time adota é tentar seguir por todos os caminhos e aproveitar todas as oportunidades ao mesmo tempo.

Isto não poderia ser mais ineficiente, pois assim realmente nenhum destes caminhos terá um resultado expressivo, pelo simples fato de que, os poucos recursos que a startup dispõe estão espalhados em diversas possibilidades.

É como se você estivesse em uma roleta e apostasse uma ficha em cada número.

Aparentemente você tem menos chances de perder, pois está cobrindo várias possibilidades, mas se ganhar, será pouco pois o seu prêmio será proporcional a sua aposta.

No caso de uma startup, essa aposta são todos os recursos que você coloca no seu negócio (dinheiro, tempo, esforço, saúde, conhecimento e etc). Aqui não podemos depender só de sorte, na Startadora que possuímos uma metodologia capaz de mitigar seus riscos e tornar essa “aposta” mais certeira. 

Desafio: Problema


Definitivamente ter uma boa estratégia é essencial. Neste momento você está entrando em um mercado, e independente do que você se propõe a fazer, com  certeza haverão empresas com mais tempo de existência, mais dinheiro, time maior e melhor, mais participação de mercado, mais experiência nisso que você…Olhando assim, criar uma empresa nova parece uma loucura, né? rss. 


A melhor forma de construir uma boa estratégia e competir com essas outras empresas, é entendendo o problema a ser resolvido muito melhor do que elas entendam. Mesmo que as empresas possuam tudo aquilo que eu citei anteriormente, não quer dizer que elas saibam exatamente quais são as necessidades não atendidas de seus clientes, pois elas mudam com o tempo.

É normal, grandes empresas começarem a perder clientes, por trabalhar de uma mesma forma há muito tempo e não perceberem que o mundo mudou eles não acompanharam essa mudança. E é nessa hora que você entra! 

Portanto, neste momento precisamos entender a fundo o problema que estamos nos propondo a resolver e tudo que o cerca; qual é o problema de fato? Quem tem esse problema? O que as pessoas acreditam que irão atingir ao resolver esse problema? Qual a forma que elas resolvem hoje? Porque estão insatisfeitas com este formato atual? E tudo mais que você puder descobrir sobre o universo o problema. Com isso poderemos atender melhor os clientes pois estaremos vendendo exatamente o que eles querem comprar. E principalmente, estaremos resolvendo o problema das pessoas.

É por isso que elas pagam, para terem seus problemas resolvidos. E no geral esse é o único fator com o qual elas se importam.

Então mesmo que você não tenha tudo aquilo citado acima mas tenha capacidade de resolver muito bem os problemas de um grupo específico de pessoas, você será capaz de atrair e manter clientes.  

Métrica: Critério Objetivo

Justamente por este ser um momento em que muitos caminhos se abrem, precisamos ter um critério objetivo claro para escolhermos apenas um.

Sempre costumo dizer que o segredo para atravessar esse momento com tranquilidade é ter clareza de para que você vai falar “NÃO” e vai ficar bem com isso. Quais são os clientes que você não vai tentar vender agora? qual o serviço que você não pretende prestar neste momento? Qual a oportunidade que você vai deixar para outro momento?

O que uma startup precisa neste momento é fazer o que chamamos que “conquistar pequenos monopólios”, ou seja, ser o melhor cara do mundo ao resolver o problema de um grupo de pessoas bem segmentado.

Ao ter esse critério claramente estabelecido, fica mais fácil para o time se manter fiel à sua visão e sua estratégia até que isso comece a lhe render frutos. Com dedicação total a algo bem específico, esses frutos chegarão rapidamente e aí sim você poderá abrir mais o escopo de atendimento do seu negócio. 

Fit: Problem/Solution

Para concluir essa fase com sucesso, não basta apenas entender em profundidade um problema a ser resolvido. Precisamo ter a capacidade de solucionar este problema para os nossos clientes. 

Parece desnecessário dizer isso mas já vi muitas startups, tão encantadas com o software que estavam desenvolvendo que não se davam conta de que ele não resolvia o problema que a startup se propunha resolver. Ou às vezes resolvia mas ao resolver criava outros.

Então é essencial que durante esta fase nós sejamos capazes de alcançar este equilíbrio entre entender bem o problema e criar uma solução viável para resolvê-lo.

Bom, espero que tenham gostado! Nas próximas semanas volto para falar sobre a fase de OPERAÇÃO.

via GIPHY

Leia também:

One thought on “Como trilhar a jornada do empreendedor de startup | Parte 2: Pré-operação”

  1. Cristiano says:

    Bacana PH, conteúdo muito rico e esclarecedor, nesse momento e fase de construir uma solução a resolver um problema não é fácil, a tendencia por instinto em nossas cabeças normalmente é a de querer resolver muitos tipos de clientes, mas como você disse muito bem a questão é focar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *